Janela Literária

Resenhas e novidades sobre o universo dos livros.

Lidos em Junho // Wrap up

Pense na correria que foi o mês de junho! Quem é professor sabe o quanto esse mês demanda trabalho para fechar o semestre. Levando isso em conta, estou bastante satisfeita com as leituras que consegui concluir! Vem que eu te conto tudo o que achei dos meus lidos em junho <3 

lidos em junho

Homer & Langley, por E.L. Doctorow

Sinopse: Quase hipnótica em sua intensidade narrativa, Os irmãos Homer e Langley, excêntricos personagens dos Estados Unidos do século XX, tornaram-se uma espécie de lenda tragicômica de Nova York. Doctorow toma as liberdades da ficção para recontar sua história sob o ponto de vista de Homer, o irmão cego, numa recomposição intimsta que nos leva a conhecer os interiores da casa e das mentes de duas vidas famosas por sua estranheza. Tendo perdido os pais ainda jovens, os irmãos Collyer passaram décadas abrigados na mansão da família, localizada na nobre Quinta Avenida de Nova York, e ao longo de décadas isolaram-se cada vez mais do mundo externo. Sozinhos em sua fortaleza, lutavam sua solitária cruzada contra o mundo, cercados pelas toneladas de jornais e objetos velhos que guardavam na residência ― incluindo um automóvel, instalado na sala de jantar. A narrativa começa bela e leve, com um Homer adaptando-se à falta de visão e um Langley retornando da guerra. Aos poucos, porém, a insanidade se infiltra nas vidas dos irmãos, até o ponto em que a circulação na casa torna-se difícil e em que, devendo milhares de dólares em hipoteca e contas de luz e outros serviços públicos, tornam-se famosos na Nova York na época. Doctorow se reserva o direito que só a literatura permite de penetrar na misteriosa residência dos Collyer para, além de imaginar o passar dos anos de duas vidas abandonadas, reviver uma triste mas rica história de excentricidade e solidão.

COMPRE AQUI ESTE LIVRO (APENAS 9,90!)

O que achei: 3/5 ⭐ Li este livro para resenhar para o Pacote de Textos e admito que não esperava tanto dele partindo da premissa, mas nossa, como me surpreendeu! Gostei muito da escrita do E.L. Doctorow, e a história destes dois irmãos é muito intrigante. O ritmo é um tanto lento, o que na minha opinião se deve ao fato de o livro não ser dividido em capítulos, mas foi uma narrativa diferente de tudo que já li e por isso recomendo bastante. 

Coração em Terapia, por Karinne Amorim

Sinopse: Os conflitos internos chegam a um ponto em que Nina, uma menina mulher percebe que não está feliz e que algo precisa mudar. Ao tentar mudar isso sozinha, acaba não tendo forças e busca auxílio na terapia para se fortalecer emocionalmente. Nina conta sobre os seus relacionamentos inusitados com muita leveza e uma pitada de humor em tudo que dá errado. Assim junto com sua terapeuta Olivia acaba se conhecendo mais e percebendo velhos padrões, inseguranças e medos que levou para os seus relacionamentos afetivos e os tornou repetitivos. A quebra dos padrões e um novo começo com muitas mudanças ao longo do enredo com diversos sentimentos intensos como alegria, insegurança, culpa, solidão. Nina e Olivia vão trabalhando cada um desses sentimentos criando assim uma amizade e parceria. Os novos relacionamentos de Nina, às vezes platônico, mas que ela acredita estar vivendo são cenários. Muitas vezes se coloca em situações que ela mesma cria, para depois conseguir ser salva.Ao longo do livro, se pode acompanhar o crescimento emocional de Nina, como cada experiência impactou na reconstrução, na busca da sua essência, a importância da família em sua vida. Nina descobre a força que tem depois de sair do fundo do poço, que ela mesma se colou, que é forte o suficiente para começar outra vez.

O que achei: 3/5 ⭐ Fazia tempo que eu não lia um romance tão fofo e repleto de ensinamentos interessantes. A escrita da Karinne é super divertida e a resenha completa deste livro você confere clicando aqui

A Autobiografia de um escravo, por Frederick Douglass

Sinopse: Frederick Douglass é um dos homens cuja trajetória pode ser classificada como uma das mais impressionantes da história mundial.
É importante ressaltar que Douglass não é apenas um personagem cuja relevância se reduz à história dos Estados Unidos. Trata-se de um homem cujas ideias e ações possibilitaram uma maior compreensão do mundo em que hoje vivemos e que deixou relatos que nos permitem assistir a como funcionavam as sociedades escravocratas.
Na Autobiografia aprendemos, por meio de seu olhar, de que modo as sociedades construídas sobre o trabalho escravo firmaram, a exemplo do que ocorreu no Brasil, um pacto de todos contra os escravizados, pacto este que está na composição das instituições jurídicas, das instituições políticas e na vida cotidiana.”
Da Apresentação, de Silvio Almeida

O que achei: 5/5 ⭐ Este livro ocupou o primeiro lugar na minha lista de biografias favoritas. Impactante, bem escrito, elucidante sobre os aspectos da escravidão nos EUA e que também faz refletir sobre o cenário das divisões de raça em outros países. Já tem resenha completa aqui no blog, é só clicar aqui para conferir. 

Júbilo, memória, noviciado da paixão, por Hilda Hilst

Sinopse: Lançado pela primeira vez em 1974, este livro introduz uma nova fase da escritora: é o primeiro volume de poesia depois de sua estreia na ficção.
Autora de uma extensa produção de poesia, que teve início com Presságio, em 1950, Hilda na década seguinte passou a se dedicar a outros gêneros literários. No fim dos anos 1960, em apenas três anos ela produziu oito peças de teatro. Logo na sequência, viriam dois livros de ficção: Fluxo-floema, de 1970, e Qadós, de 1973.
Júbilo, memória, noviciado da paixão se tornou uma das obras mais lidas, festejadas e estudadas de Hilda Hilst, autora homenageada na Flip 2018. Com a forte marca da prosa, este volume de poemas apresenta os temas que consagraram a poeta: a entrega amorosa, a devoção mística, o anseio pelo encontro, o temor da morte. “Se te pareço noturna e imperfeita”, ela escreve, “Olha-me de novo.”

COMPRE AQUI ESTE LIVRO

O que achei: 3/5 ⭐ Coletânea de poemas da Hilda Hilst que surpreende pelo romantismo, principalmente para mim que li recentemente "A obscena senhora D" e senti que a experiência foi bem diferente. Tenho gostado muito de ter contato com a escrita da autora e quero logo ler outras obras dela. 

Livros lidos no mês: 4
Total de páginas lidas: 769
Média das notas: 3,5/5⭐

3 Comentários

  1. Cara mia, me interessei muito pelo livro A autobiografia de um escravo para ler futuramente, em algum momento do próximo semestre. Acho interessante compreender esse modelo de sociedade que acabou por estabelecer as bases do sistema capitalista que nos atropela e gerou o tempo dos stress.
    Gosto imenso de Hilda Hilst e tenho livros de poesias dela aqui. Sempre me surpreendo com suas linhas. O livre transitar de seus versos por realidades-mundos-vivências.
    Que julho (que está voando por aqui, acordei hoje é já é dia 20) seja ameno e com ótimos livros em mãos.

    bacio

    ResponderExcluir
  2. Considerando essa correria de fim de semestre que junho traz, você leu bastante no mês, menina! Fiquei aqui pensando se já li algum livro que não é dividido em capítulos e, mesmo sabendo que provavelmente sim, imagino que não tenha sido tão fácil assim... Nem dá pra usar a clássica desculpa "só mais um capítulo", hahahaha!
    Fiquei bem interessada nos três livros seguintes, principalmente o da Hilda Hilst. Não tenho costume de ler poesias, mas ela tá na minha lista de autoras que quero tentar me dar o "tranco" pra entrar de vez no gênero...

    ResponderExcluir
  3. Junho também foi um mês satisfatório!!! Ainda não li nenhum desses, mas Hilda Hilst esta na minha lista infinita!!! Abraços

    ResponderExcluir

Postar um comentário