Janela Literária

Resenhas e novidades sobre o universo dos livros.

Resenha: A História Secreta (Donna Tartt)

Há algumas semanas eu finalmente li este livro que é um ícone da Dark Academia, amplamente compartilhado no Tumblr e boards do Pinterest da vida. Li O Pintassilgo em 2018 e na época fiquei encantada pela escrita da autora, que com aquela obra venceu o Prêmio Pulitzer e se consagrou no meio literário. Por isso fiquei super animada para ler este livro quando o recebi através da parceria com a Companhia das Letras, e abaixo compartilho as minhas impressões sobre esta leitura. 

Resenha: Acorda pra vida, Chloe Brown (Talia Hibbert)

Fazia tempo que eu não pegava pra ler um livro com um hype tão alto. Só o que eu via nos canais brasileiros e de fora eram comentários sobre esse livro, em sua maioria positivos. Por conta disso, fiquei super animada pra ler logo quando recebi ele em parceria com a Companhia das Letras! Foi uma das minhas leituras deste mês de março e neste post vou te contar tudo o que achei deste livro.

Resenha: Os tais caquinhos (Natércia Pontes)

Um pai acumulador e duas filhas adolescentes, vivendo num apartamento caótico onde falta muita coisa. Esse é o contexto de Os tais caquinhos, primeiro romance da Natércia Pontes, autora que chegou à final do prêmio Jabuti com o livro de contos Copacabana Dreams. A história deste romance de formação é repleta de peculiaridades, mostrando as descobertas da adolescência em um contexto insólito.

Dicas para ler mais de um livro ao mesmo tempo

Acontece com todo mundo: você está lendo um livro e até gostando da história, mas lá no fundo a vontade é de começar outro. E outro. E mais outro. De repente você se vê intercalando entre 8 livros diferentes e se desespera, pois não sabe muito bem como lidar com isso. Mas calma! A Malu chegou pra te ajudar. Neste post darei dicas para você ler mais de um livro ao mesmo tempo; e realmente aproveitar todos eles!

Resenha: 1984 (George Orwell)

Toda leitura envolve dois contextos: aquele em que a obra foi escrita e aquele em que o leitor está imerso em seu presente. Mas se há uma obra mundialmente reconhecida por conseguir fazer um paralelo entre estes dois contextos, é 1984. O livro, escrito cerca de 15 anos antes de seu cenário distópico, dialoga muito com questões contemporâneas, permitindo debates e reflexões.