O longo adeus (Raymond Chandler)

Se você é fã de romances policiais, provavelmente já ouviu falar no Raymond Chandler. Este foi o meu segundo livro dele; o primeiro foi A dama do lago, que li há muitos anos em uma edição bem antiga. Lembro que foi um dos meus primeiros romances policiais, e acabou sendo o responsável por eu ter buscado ler outros livros do gênero. Desde então alguns títulos do Raymond Chandler foram parar na minha wishlist, e O longo adeus foi um deles.


Dentre as muitas obras do autor, algumas são protagonizadas pelo detetive Philip Marlowe. É o caso de O longo adeus, que é também a aventura mais famosa do personagem, sendo descrita inclusive como "um dos maiores romances da literatura americana de todos os tempos". A escrita de Chandler não é pautada apenas dentro do gênero policial: ele escreve o que chamam de policial noir, que ficou famoso nos EUA lá pela década de 50. 


SINOPSE


Terry Lennox poderia ter a vida ganha. Ex-veterano de guerra, casou-se com a milionária Sylvia Potter e não precisaria mais se preocupar com nada desde que fechasse os olhos para a devassidão escancarada da mulher. Ele, no entanto, se afunda na bebida. É assim que Philip Marlowe o encontra - caído, inconsciente -, e a partir daí ambos criam um estranho laço de amizade. Quando Lennox lhe pede para fugir do país em circunstâncias misteriosas, Marlowe aceita ajudá-lo, mas aos poucos se vê enredado a uma elite poderosa e desajustada de escritores alcoólatras e mulheres fatais, que fará de tudo para encobrir os próprios crimes. Publicado em 1953, O longo adeus é a obra mais ousada e desafiadora de Raymond Chandler. É, nas palavras de Ricardo Piglia, “talvez o melhor romance policial que já se escreveu”.

OPINIÃO


Essa é uma história com muitas nuances. Temos o detetive Philip Marlowe em uma fase reflexiva de sua vida, e personagens que entram nela para fazê-lo refletir ainda mais. No início do livro vemos o surgimento de uma amizade que mais parece um bromance, como dizem, entre Marlowe e Terry Lennox, um alcoólatra que aparenta carregar muitos segredos nas costas. Lennox leva Marlowe para uma realidade de Los Angeles que não lhe pertencia, e acaba o afundando em problemas que o detetive jamais imaginaria ter de enfrentar.

Há certos lugares onde policiais não são odiados, capitão. Mas nesses lugares o senhor não seria um policial." p. 51
Marlowe continua sendo um cara tão peculiar quanto eu me lembrava. Seus comentários sarcásticos são os melhores, e remetem muito à filmes policiais antigos - num tom não muito natural e por vezes ensaiado, porém marcante. Ele é o narrador da história e nos conta tudo sob uma perspectiva que nos faz achar sabermos o que ele está pensando quando na verdade a gente não sabe de nada.

A maioria das pessoas parra pela vida usando metade de sua energia, para proteger uma dignidade que nunca tiveram." p. 190
Demorei mais para ler este livro do que previa. Não sei se foi pela memória afetiva que eu tinha da outra obra do autor que li ou pelo hype deste livro, mas eu criei muitas expectativas (eu sei, esse é um grande defeito meu). Porém senti que a obra tem muita encheção de linguiça, e entrega menos do que promete. Alguns diálogos chegaram a ser difíceis de ler até o fim, pelo excesso de dramaticidade e a sensação de que aquilo não levaria a lugar nenhum.
Mas lá pelo final do livro a coisa vai ficando boa, e o autor conseguiu me surpreender. No geral, posso afirmar que gostei da obra, mas que poderia ser bem melhor se tivesse umas 100 páginas a menos.

LEIA TAMBÉM: O chamado do cuco (Robert Galbraith)

Se eu lerei outros livros do Raymond Chandler? Com certeza. Se eu acho que essa foi a melhor obra do autor? Não. A dama do lago me pareceu bem melhor (mas talvez seja apenas a memória afetiva falando mais alto novamente). Vamos ver o que a próxima obra do autor tem a me dizer.


ISBN: 978-85-254-1007-8
Editora: L&PM 
Nota: 3⭐

20 Comentários

  1. Fiquei morrendo de vontade de ler, também tive uma ótima experiência com a dama do lago, é uma pena que o livro tenha te deixado com a impressão que poderia ter menos páginas, fico triste com obras assim, mas ainda assim fiquei curioso pra ver a obra mais aclamada do autor :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que tenha a chance de ler no futuro <3

      Excluir
  2. É o tipo de leitura que gosto. Parece que no geral é um bom livro. Vou ler pra verkkk

    ResponderExcluir
  3. Olá! Gostei de conhecer o livro, não curto livros que enrolam demais para chegar numa conclusão mas, acho que vale a pena mesmo você tendo escrito que ele poderia ser um pouco menor. Curti a ideia do romance policial apesar de não ser um gênero que leio muito, vou ver se meu primo tem esse livro para me emprestar já que todo romance policial que já li eu peguei emprestado para ler rs
    Beijocas.

    https://www.parafraseandocomvanessa.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha, se ele curte muito o gênero provavelmente deve ter algum livro do autor!

      Excluir
  4. Não costumo ler livros policiais, mas fico encantada por qualquer coisa que tenha uma pegada noir.
    Não me lembro de já ter ouvido falar do Raymond Chandler, mas fiquei curiosa para ler alguma coisa dele. Apesar da encheção de linguiça que você falou, eu me interessei por O Longo Adeus.
    Adorei sua resenha ♥

    Epílogo em Branco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não conhecia muito do estilo noir, acredita? Meu namorado é que curte bastante. Fico feliz que tenha gostado da resenha <3

      Excluir
  5. Oi! Tudo bem?

    Li poucos romances policiais até então, mas os poucos que li me cativaram bastante. Eu não conhecia o autor ou os livros, achei uma pena que esse não tenha agradado tanto porque eu fiquei bem curiosa com a sinopse e achei a capa lindona. Você recomendaria conhecer Raymond Chandler pelo A dama do lago?

    Abraços,
    Literalize-se

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Recomendo super! A dama do lago é muuito bom <3

      Excluir
  6. QUE SINOPSE MARAVILHOSA! Primeiro que eu já amei o fato de o protagonista ser um aparente alpinista social hehe. Eu gosto de livros com personagens que não tem a índole tão perfeita como alguns livros fazem. E fiquei muito curiosa pra saber onde essa história vai parar. SÉRIO! Mesmo sendo um gênero que me atrai, quase nunca li nada nesse estilo. Sua resenha me apresentou ao livro e ao autor <3 eu adorei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também gosto disso, afinal personagens perfeitos sempre ficam longe da realidade! Acho que você vai curtir as obras do autor <3

      Excluir
  7. Já ouvi muita gente falando sobre A Dama do Lago, mas de O Longo Adeus é a primeira vez... Adorei a capa!

    Adoro sequencias de livros com um mesmo detetive, principalmente porque eles costumam ser pessoas com bastante defeitos e questões a serem trabalhadas, basicamente que nem todo mundo, mesmo. Não é mocinho nem vilão, é gente, mesmo. E que MARAVILHOSO uma amizade forte assim entre homens escrita na década de 50, onde tudo era ainda mais tabu que hoje! Acho tão importante trabalhar afeto não sexual entre homens assim, pra parar de ser visto como errado... Gostei!

    Fiquei curiosa com sua resenha de O Chamado do Cuco, que eu amo, vou lá ler!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também curti muito essa amizade! E o livro trabalhou bastante o tema da amizade entre homens, da consideração entre eles e etc. E se você curte sequencias de livros com o mesmo detetive vai amar as obras do Raymond Chandler <3

      Excluir
  8. Oie, tudo bem? Livros assim sempre me chamam atenção. Tanto por descobrir novos autores quanto pelos enredos. Gosto de livros policiais desde que era adolescente. É quase impossível ficar um mês sem ler algo do gênero. Quando comecei a ler a sinopse imaginava que seria a mulher a precisar de ajuda mas já fui surpreendida. Vendo o ano que o livro foi escrito me fez lembrar das obras da Ágatha Christie algumas são bem antigas também. Gosto de analisar a escrita de outras épocas e comparar autores. Fiquei bem curiosa para ler. Um abraço, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  9. Olá! Ainda não conhecia esse livro. Foi muito bom conhecer o trabalho do autor. Achei ótima sua resenha e vou anotar a indicação. Estarei conferindo assim que possível. Muito sucesso, bjo

    ResponderExcluir
  10. Eu não conhecia esse autor e nunca ouvi falar desse livro. Li poucos romances policiais até hoje mas agradei bastante dos que li. A sinopse esse livro é bem pretensiosa, né? E me surpreendi ao perceber que não se trata de um young adult, pois a capa me lembra muito livros assim. Pena não ter curtido tanto e ter achado que o autor enrolou muito.

    Au revoir ♡
    Tecer Flores e Cheirar Livros

    ResponderExcluir
  11. Eu sei bem como é quando temos uma expectativa alta em relação a um livro e ele não atende, parece que mesmo não sendo ruim ele é ruim rsrs
    Eu não conheço o autor mas já ouvi falar da A dama do lago. Confesso que fiquei com mais vontade de ler a dama do lago do que o longo adeus rsrs

    ResponderExcluir
  12. Você acredita que não conhecia Raymond Chandler? Talvez isso se deva ao gênero literário que não faz muito a minha praia. Mas lendo sua resenha confesso que fiquei um pouco curiosa. Quem sabe quando eu quiser sair um pouco da zona de conforme e me arriscar no gênero comece pelo autor. Valeu pela dica.

    ResponderExcluir
  13. Olá! Eu nunca havia ouvido falar no autor nem na obra. Pela sinopse lida e sua resenha, nãos sei se seria um livro que me agradaria a leitura, tanto pelo enredo que não me interessou muito e também por você dizer sobre a enrolação da história, hehehe.

    ResponderExcluir

Postar um comentário