Janela Literária

Resenhas e novidades sobre o universo dos livros.

Gênero, sexualidade e redes sociais (Rafael Morato)

A modernidade trouxe a tona diversas discussões que têm inundado o meio acadêmico nas últimas décadas. Desde o último século as pesquisas sobre gênero e sexualidade vêm ganhando espaço, mas foi nos últimos dez anos que as redes sociais se consolidaram como objeto de pesquisa também. Nesta obra do Rafael Morato, vemos uma abordagem sobre desigualdade social que permeia estes temas contemporâneos, de forma sintetizada e bastante elucidativa.

genero, sexualidade e redes sociais

SINOPSE


Estamos na era digital e as mídias sociais são protagonistas dessa era. Conectando milhões de pessoas em todo o mundo e servindo de morada para a diversidade e vozes distintas, as redes sociais se tornaram também um palco para a violência e a discriminação. Os discursos de ódio nas mídias sociais são uma incômoda e dolorosa realidade. Nesse livro, o autor nos leva a tentar compreender como esses discursos são formados quando o assunto é gênero e sexualidade, quais são as relações de poder e ideologias que eles envolvem e como contribuem para a (re)produção de ódio contra a população LGBTI+.


genero, sexualidade e redes sociais

O autor parte da premissa de que o acesso a informação possibilitado pela internet trouxe transformações na comunicação, mas também potencializou conflitos sociais já existentes na sociedade, que passaram então a ganhar espaço nas redes sociais. Ele busca com o seu trabalho separar a desinformação do ódio e ignorância deliberada, realizando uma análise do cenário atual através dos discursos presentes nas redes, mais particularmente na antiga página do Facebook chamada "Humaniza Redes". Essa página objetivava fomentar os direitos humanos com suas postagens, que geravam bastante interação entre os usuários da rede.
[este livro] É um chamado ao bom senso, à defesa dos direitos humanos e à empatia, pois se o ódio fala, a resposta do afeto e do amor não pode ser o silêncio." p. 15
Em seus primeiros capítulos o autor busca conceituar alguns termos que são importantes para a sua pesquisa, como discurso, poder, ideologia, gênero e sexualidade. Dentro de cada um desses temas ele realiza uma análise das abordagens utilizadas por diversos autores consolidados no campo. A partir dessa análise ele vai chegando a conclusões e definindo a linha de pensamento que delimita a sua pesquisa. 
Os silêncios dizem muito na (re)produção dos discursos, tanto para construções do gênero e da sexualidade, como para analisar as opressões decorrentes dessas construções". p. 32
 A fundamentação teórica escolhida pelo Rafael foi excelente, trazendo autores que elucidaram diversas questões que envolvem os temas abordados e inclusive fazendo alguns contrapontos. Destaco aqui as discussões realizadas acerca do binarismo hétero/homossexual, que demonstram claramente como essa lógica é excludente e problemática.

LEIA TAMBÉM: Por que eu não converso mais com pessoas brancas sobre raça (Reni Eddo-Lodge) 

genero, sexualidade e redes sociais

Quando chega na análise propriamente dita das postagens em redes sociais, o livro traz prints de diversas publicações realizadas pela página Humaniza Redes, que trouxeram debates dos usuários em seus comentários. Esses debates abordam visões distintas sobre as questões de gênero e sexualidade, que demonstram tanto apoio quando repudio às publicações. Alguns comentários são extremamente preconceituosos e apresentam discursos de ódio que vem crescendo no Brasil nos últimos anos, e trazem inclusive demonstrações de apoio ao atual presidente, que na época era ainda pré candidato. É bem nítido como as mudanças que sofremos no governo desde 2014 foram mudando também o comportamento dos usuários nas redes sociais.
É interessante como o autor consegue demonstrar que muitos desses discursos tentam se esconder sob a prerrogativa da liberdade de opinião, quando na verdade são discursos de ódio explícito que chegam a até mesmo incitar a violência contra os LGBT.
Logo, travestir um discurso de uma suposta legalidade não o isenta de ser um discurso de ódio, de violar direitos humanos, nem tampouco o blinda de contestações." p. 94
Admito que alguns elementos da escrita do autor me incomodaram, sobretudo o uso exacerbado de aspas para tratar de conceitos que não são assim tão estranhos aos leitores. Esse uso acaba gerando uma atenção a termos que por vezes não é explicada. Seria interessante que o autor falasse sobre esse uso das aspas em alguns conceitos, explicando o seu sentido. 
Mas tendo um olhar amplo sobre a obra é possível concluir que o autor alcançou os objetivos propostos por ele nas páginas iniciais, trazendo um trabalho repleto de informações esclarecedoras para o público. Aprendi muito com essa leitura, que com certeza irá servir de base teórica para muitos novos pesquisadores da área. 

rafael morato

SOBRE O AUTOR

É pernambucano, nascido em Barreiros. Graduado em Direito pela Universidade Católica de Pernambuco e mestre em Direitos Humanos pela Universidade Federal de Pernambuco, é advogado e mediador judicial pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco. Estudou em escolas públicas no primário, fundamental e ensino médio e defende educar-se como um ato de resistência. 


ISBN: 978-85-9530-346-1
Editora: Letramento
Nota: 4/5⭐

*este livro foi enviado pela editora em troca de uma opinião sincera*

5 Comentários

  1. eu amo ler, e adoro quando as editoras abrem espaço para histórias assim serem contadas. É muito importante falar sobre gênero nos dias de hoje, tendo tando preconceito enraizado nas pessoas. Adorei, tomara que muitos leiam!

    ResponderExcluir
  2. Parece ser muito interessante, gosto de ler sobre essas questões e sempre tento me atualizar. Vou por na minha lista com certeza haha

    ResponderExcluir
  3. Adoro ler esse tipo de temática: desigualdade social. Sempre me atualizo sobre o assunto.

    ResponderExcluir
  4. Oi, tudo bem? Achei bem interessante a temática do livro. Realmente o discurso de ódio nas redes sociais vem aumentando muito. Um abraço, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia esse livro, e sua resenha me fez lembrar de um curso que fiz na faculdade que se chamava Corpo, Gênero e Sexualidade. Acredito que essa temática abordada no livro traz ótimas reflexões. Valeu pela dica!

    ResponderExcluir

Postar um comentário