Janela Literária

Resenhas e novidades sobre o universo dos livros.

Resenha: Codinome Villanelle (Luke Jennings)

Quando uma série ou filme é lançada com base em um livro, eu geralmente procuro ler o livro primeiro e depois assistir a adaptação. Porém nesse caso fiz o inverso, principalmente por que estava ansiosa para conferir a atuação da Sandra Oh em Killing Eve, série baseada na obra do autor Luke Jennings. Amei a série e desde então adicionei Codinome Villanelle, o primeiro livro do que será uma trilogia, na minha lista de leitura, mas foi só em dezembro do ano passado que tive a chance de lê-lo.

ebook codinome villanelle

SINOPSE

Villanelle (um codinome, é claro) é uma das assassinas mais habilidosas do mundo. Uma psicopata hedonista, que ama sua vida de luxo acima de quase qualquer coisa... menos a emoção da caçada. Especializada em matar as pessoas mais ricas e poderosas do mundo, Villanelle é encarregada de aniquilar um influente político russo, e acaba com uma inimiga determinada em seu encalço.
Eve Polastri é uma ex-funcionária do serviço secreto inglês, agora contratada pela agência de segurança nacional para uma tarefa peculiar: identificar e capturar a assassina responsável e aqueles que a contrataram. Apesar de levar uma vida tranquila e comum, Eve possui uma inteligência rápida e aguçada – e aceita a missão. Assim começa uma perseguição através do globo, cruzando com governos corruptos e poderosas organizações criminosas, para culminar em um confronto do qual nenhuma das duas poderá sair ilesa.

codinome villanelle

PERFIL DAS PERSONAGENS

Sob o codinome Villanelle, o livro tem Oxana como uma de suas protagonistas. Ela é uma espécie de matadora de aluguel sofisticada, que é designada para os mais sórdidos assassinatos por mandantes misteriosos. Oxana é uma psicopata, com sede de controle, mas que ao mesmo tempo tem atitudes imprevisíveis. Nunca se sabe o que ela irá tramar para conseguir o que quer. Apesar de sua aura enigmática, aos poucos vamos descobrindo mais detalhes de sua personalidade peculiar e, de certa forma, interessante.
Para Villanelle, música é, na melhor das hipóteses, uma irritação inútil e, na pior, um perigo mortífero. O silêncio é seguro. 

Do outro lado temos Eve Polastri, uma agente do serviço secreto britânico que acaba se envolvendo nas investigações contra Villanelle. Eve não é tão metódica quanto Oxana - sua vida é um pequeno caos, repleta de problemas tanto na vida pessoal quando na profissional. Em meio a tudo isso, ela precisa focar numa série de assassinatos, que acabam a levando até Villanelle.

UM JOGO DE GATO E RATO 

O livro mostra o paralelo entre crimes e investigações, com suas relações e desdobramentos. Nesse contexto, vemos uma protagonista tentando traçar o perfil da outra, mas sem tanta interação entre elas - o que é bem diferente da série, onde as linhas se cruzam bem mais cedo. 
Sem predadores, gente que consegue pensar o impensável e agir sem medo e hesitação, o mundo não anda. Você é uma necessidade evolutiva. 

É interessante observar o desenvolvimento das personagens a partir de seus conflitos, mas isso acontece principalmente com Villanelle, que toma conta da história como uma vilã perspicaz. O desenvolvimento de Eve acaba sendo apenas uma consequência do que acompanhamos com Villanelle. 


capa codinome villanelle

ENREDO E NARRATIVA


O livro traz a perspectiva dos dois lados da moeda numa narrativa em terceira pessoa, mas que acaba falando mais do que mostrando as reais tensões do enredo. Por exemplo, ele fala que Eve possui problemas no casamento, mas não demonstra isso claramente, fala que Eve e Oxana são inimigas, mas não demonstra isso com cenas suficientes. Essa escolha narrativa acaba deixando a desejar (só no livro, por que a série entrega isso com primor). 
Apesar do ritmo rápido e da sucessão de acontecimentos, algumas descrições do livro são chatas e - na minha humilde opinião - desnecessárias. Esses pontos acabaram impedindo que a leitura fluísse melhor. Além disso, o livro como um todo soa como uma longa apresentação do que ainda está por vir, o que não acredito que deva ser o papel de um livro inteiro de uma trilogia. Poderia ter entregue mais logo de primeira, o que deixaria o leitor mais instigado para os próximos livros. 

CONSIDERAÇÕES FINAIS 


Se você ainda não assistiu a série Killing Eve e está pensando em ler esse livro, recomendo que leia primeiro para não se decepcionar. É que a série conseguiu ir muito além, e ler o livro depois acabou sendo uma quebra de expectativa. Sinceramente, não tenho planos para ler os próximos livros da trilogia, mas já estou aguardando ansiosamente a próxima temporada da série.  


ISBN: 978-85-5651-093-8
Editora: Suma 
Nota: 2,5/5 ⭐

3 Comentários

  1. Olá!!!
    Também sempre procuro ler o livro antes do filme! Não sabia que o livro era na verdade uma série...Pena que você se decepcionou com o livro.
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Eu sempre encaro o livro e a adaptação como duas obras a parte e às vezes compensa conferir essas duas obras, né. Essa aí parece interessante, não conhecia nem o livro, nem a série :3

    ResponderExcluir
  3. Nossa, enquanto lia, fiquei pensando... de onde eu conheço essa história? E quando cheguei ao final, descobri.
    Eu não gostei da série, confesso. Até pareceu interessante nos primeiros episódios, mas depois me desconectei e olha que eu adoro psicopatas em livros-filmes-séries. Mas, achei tudo muito simples na tela... e eu não sabia da existência do livro. Vou colocar na minha lista de leituras-futuras...

    ResponderExcluir

Postar um comentário