De amor e de sombra (Isabel Allende)

Se me perguntassem, eu não saberia dizer quando ouvi falar na Isabel Allende pela primeira vez. O seu nome sempre ecoou em minha vida de leitora, nas referências a sua grande obra "A casa dos espíritos" e até mesmo na menção de seu nome em séries como Gilmore Girls. Recentemente inclui a sua obra mais famosa em minha lista de desejos, mas antes mesmo de ter a chance de adquiri-la, recebi do Pacote de Textos "De amor e de sombra", segundo livro de Allende, e não resisti. Conclui a leitura menos de uma semana atrás e já estava ansiosa para comentar com vocês!

de amor e de sombra

SINOPSE

A partir de uma reportagem rotineira, um mundo estranho, oculto pela história oficial, revela-se a Irene, jornalista proveniente de uma família de aristocratas, e a Francisco, fotógrafo filho de um professor anarquista, fazendo-os se sentir moralmente responsáveis pelos fatos cruéis que se sucedem. Na sombra do poder e do abuso, e cada vez mais pressionados pelas injustiças e pelo ódio, eles veem o amor de um pelo outro se desenvolver como força contrária. Mas estarão eles dispostos a arriscar tudo em nome da justiça e da verdade, num país onde detenções arbitrárias e execuções sumárias são uma prática constante? Em De amor e de sombra, clássico que sucedeu o best-seller internacional A casa dos espíritos, imaginação e realidade correm paralelas, alcançando a perfeição de uma indiscutível obra de arte literária, bem como de um comovente testemunho histórico da trágica situação que, lamentavelmente, ainda se vive em certas regiões da América Latina. Aqui, Isabel Allende narra situações tanto reais quanto imaginárias, sempre evidenciando a dramaticidade e aprofundando o sentido dos acontecimentos.


de amor e de sombra

De amor e de sombra alterna entre as histórias de várias famílias, de certa forma interligadas, e que aos poucos vão mostrando sua importância para o enredo principal. Nele temos a protagonista Irene, uma jornalista jovem e audaz, e Francisco, um psicólogo que está buscando na fotografia um novo ofício. Logo descobrimos que tudo converge na personagem Evangelina Ranquileo, uma garota de 15 anos que vive em um vilarejo e começou a apresentar comportamentos estranhos: ataques, que acontecem sempre por volta do meio dia. O mais estranho é que, com o tempo, percebeu-se que os seus ataques tinham um aspecto milagroso: aqueles que se aproximam dela são curados de pequenas mazelas. Isso faz com que ela obtenha sucesso entre os moradores, o que chama a atenção de Irene para o caso.
Admito que fiquei bem confusa no início do livro, com tantos nomes e famílias diferentes. Mas logo me encantei pela personalidade da Irene, por sua abordagem jornalística e até mesmo pelas descrições de suas roupas e acessórios. Francisco logo se encanta por tudo isso também, e a possibilidade de um romance se instaura. Porém, Irene é comprometida: ela é noiva de Gustavo Morante, um militar que costuma passar alguns meses longe, mas que tem o amor prometido à Irene desde a infância.

No entanto, devido à censura dos últimos anos, punham tarjas negras sobre os seios desnudos e empregavam eufemismos para designar conceitos proibidos, como aborto, bunda e liberdade". p. 53

O contexto da ditadura do Chile vai se apresentando sutilmente no início do livro, mesmo que em nenhum momento seja citado o nome do país em que ele é ambientado. Intuímos o contexto histórico por conta do da própria autora, que é Chilena e escreveu o livro ainda durante a ditadura de Pinochet. Apesar de apresentar personagens favoráveis e contrários ao regime, sentimos na escrita da autora a constante crítica ao controle da liberdade, e as problemáticas apresentadas na obra evidenciam as dificuldades daquele povo em meio à ditadura.

A humanidade deve viver em um mundo unido, onde se misturem as raças, línguas, os costumes e sonhos de todos os homens. O nacionalismo repugna a razão. Não beneficia os povos em nada. Só serve para que em seu nome se cometam os piores abusos." p. 103
LEIA TAMBÉM: Terra sem mapa (Ángel Rama)

livro de amor e de sombra

Na medida em que o contexto social vai sendo estruturado, vamos percebendo a ingenuidade de Irene para algumas questões, e logo ela mesma começa a questionar a sua própria realidade, revisitando momentos de seu passado que demonstram que ela suprimiu muitos acontecimentos que denunciavam os problemas sociais de sua época. Acho válido alertar que a obra traz alguns temas fortes e sensíveis, como suicídio e abuso sexual, que foram importantes no enredo para demonstrar de maneira vívida as atrocidades que o país enfrentou durante aquele período. Allende soube trazer o leitor de forma vívida para dentro do cenário da obra e de seu contexto histórico.

Ali, como em todas as partes onde se acumula o sofrimento, estava presente a solidariedade humana como um bálsamo para aliviar o infortúnio." p. 116

Posso ainda afirmar que me encantei por todos os personagens desta obra. Francisco, com a sua mãe amorosa e pai anarquista e politicamente engajado. Irene, com a sua mãe dona de um asilo de idosos, presa no conforto da ignorância e da negação da realidade, e Digna, a empregada que cuidou de Irene desde a infância. Até mesmo os personagens que encaramos como "vilões" possuem a sua profundidade, e odiei cada um deles estando também interessada em saber mais sobre suas vidas. Quase todos os personagens amadurecem de alguma forma, a não ser aqueles que, na vida real, também não amadureceriam.

isabel allende

Os momentos finais da obra foram frenéticos e mostraram as contradições de um regime ditatorial. A escrita de Allende é incrível e me deixou querendo mais. Não podendo engatar logo em outra obra da autora, fui pesquisar mais sobre ela. Descobri que a mesma faz parte da família do  democraticamente eleito Salvador Allende, que foi derrubado pelo golpe de Estado de 1973. Ela nasceu no Peru décadas antes, mas sua nacionalidade é chilena. Porém, em 2003 ela recebeu também a nacionalidade norte-americana, e hoje em dia reside na Califórnia.
Recomendo muito a leitura deste livro a quem busca um romance que fale muito mais do que sobre o amor entre duas pessoas. Estão ali também as sombras, os problemas e os pesares, e o livro tem muito a nos ensinar. Com uma linguagem quase lírica, Allende escreveu em 279 páginas uma obra bem amarrada e extremamente cativante, que se tornou uma das minhas favoritas.
O enredo foi adaptado para o cinema em 1993, e conta com Antonio Banderas e Jennifer Connelly no elenco. 


ISBN: 978-85-286-2411-3
Editora: Bertrand Brasil
Nota: 5/5 ⭐

Este livro foi recebido em parceria com o clube de assinatura Pacote de Textos. Clique aqui e saiba como receber livros mensalmente em sua casa - e obtenha 10% de desconto usando o cupom MALU10

12 Comentários

  1. Uau, que mistura interessantíssima: investigação, sobrenatural, ditadura e romance.
    Curto muito ler enredos que se passam durante períodos históricos, é interessante ver as coisas sobre óticas de outras pessoas, principalmente quem viveu lá.
    Enfim adorei a resenha e as fotos.

    ResponderExcluir
  2. História apaixonante! Só de ler a sua resenha já deu ainda mais vontade de ler!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Owwn, fico feliz que te deixei com vontade de ler esse livro incrível <3

      Excluir
  3. Parece ser bem envolvente e uma mistura de emoções. Certamente um livro que eu acabaria de ler rapidinho !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Siiim, é super envolvente mesmo e dá pra ler em pouco tempo :)

      Excluir
  4. Menina, tô VIDRADA no enredo desse livro, principalmente na família do Francisco e o ativismo político por trás deles. Parece ser uma visão super pertinente do cenário ditatorial do Chile e com o plus do mistério para deixar ainda mais fascinante. AMEI essa citação da página 103, escolha maravilhosa para ilustrar a obra!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A família do Francisco é mesmo muito peculiar e incrível. Fico feliz que tenha gostado! <3

      Excluir
  5. Este livro parece interessante mesmo. Aprendi bastante sobre a política chilena em minha última viagem antes da quarentena. Fui pro Chile e por pouco não fiquei "presa" lá por conta do covid. Em 20 dias aprendi bastante sobre o que já se passou e se passa por lá. Inclusive, assisti 2 dias de protesto, mas não tive coragem de ir lá no meio (Santiago). Belas fotos.
    Paula

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caramba, que loucura! Eu ainda sonho em conhecer o país, espero poder visitá-lo quando essa pandemia acabar.

      Excluir
  6. Eu estou assistindo a série Dark e não pude deixar de comparar ao livro pelo fato de ser uma história que envolva várias famílias e deixa a gente meio perdido no começo, hahaha!
    Adorei conhecer esse título <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eita, Dark realmente buga a nossa cabeça, hehe Mas tirando essa questão dos nomes das famílias, esse livro é beeem diferente. Mas amo as duas histórias! <3

      Excluir

Postar um comentário